Saiba tudo sobre a dengue!

A dengue é uma doença febril aguda transmitida pela picada da fêmea do Aedes aegypti, um mosquito diurno que se multiplica em depósitos de água parada acumulada nos quintais e dentro das casas.  Existem quatro tipos diferentes de vírus do dengue: DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4, todos podem causar as diferentes formas da doença.

blog_shutterstock_99254693

O tempo médio do ciclo é de 5 a 6 dias, e o intervalo entre a picada e a manifestação da doença chama-se período de incubação. É só depois desse período que os sintomas aparecem. Geralmente os sintomas se manifestam a partir do 3° dia depois da picada do mosquitos. Quando surgem, os sintomas costumam evoluir em obediência a três formas clínicas: dengue clássica, forma benigna, similar à gripe; dengue hemorrágica, mais grave, caracterizada por alterações da coagulação sanguínea; e a chamada síndrome do choque associado à dengue, forma raríssima, mas que pode levar à morte, se não houver atendimento especializado.

A primeira manifestação dos sintomas da dengue clássica é a febre alta (39º a 40º), de início repentino, associada à dor de cabeça, prostração, dores musculares, nas juntas, atrás dos olhos, vermelhidão no corpo e coceira. As manifestações iniciais da dengue hemorrágica são as mesmas da forma clássica. Entretanto, depois do terceiro dia, quando a febre começa a ceder, aparecem sinais de hemorragia, como sangramento nasal, gengival, vaginal, rompimento dos vasos superficiais da pele (hematomas), além de outros. Em casos mais raros, podem ocorrer sangramentos no aparelho digestivo e nas vias urinárias. Já a síndrome de choque associado à dengue, o potencial de risco é evidenciado por uma das seguintes complicações: alterações neurológicas (delírio, sonolência, depressão, coma, irritabilidade extrema, psicose, demência, amnésia), sintomas cardiorrespiratórios, insuficiência hepática, hemorragia digestiva e derrame pleural.

A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. A transmissão se dá pelo mosquito que, após um período de 10 a 14 dias contados depois de picar alguém contaminado, pode transportar o vírus da dengue durante toda a sua vida.

Se tiver mais dúvidas sobre a doença ou sentir algum desses sintomas, procure um médico imediatamente. O tratamento adequado só é possível com o acompanhamento de um profissional.

Cuide da sua saúde e previna-se!

Hipertensão arterial, o que é?

A hipertensão arterial ou pressão alta é uma doença caracterizada pela elevação dos níveis tensionais no sangue. A hipertensão pode acontecer quando nossas artérias sofrem algum tipo de resistência, perdendo a capacidade de contrair e dilatar, ou então quando o volume se torna muito alto, exigindo uma velocidade maior para circular.

blog_shutterstock_162433061

A pressão alta ataca os vasos, coração, rins e cérebro. Os vasos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper. Quando o entupimento de um vaso acontece no coração, causa a angina que pode ocasionar um infarto. No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao “derrame cerebral” ou AVC. Nos rins podem ocorrer alterações na filtração até a paralisação dos órgãos. Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento adequado, bem conduzido por médicos.

Normalmente, a doença é hereditária mas existem alguns fatores que podem ser considerados de risco, como o tabagismo, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, a obesidade, consumo excessivo de sal, o estresse, altos níveis de colesterol, diabetes e falta de atividade física. Os sintomas da hipertensão costumam aparecer somente quando a pressão sobe muito: podem ocorrer dores no peito, dor de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, visão embaçada e sangramento nasal.

Para prevenir o problema evite alimentos gordurosos, mude seus hábitos e mantenha o peso adequado, não abuse do sal, pratique atividades físicas regularmente, abandone o cigarro, modere o consumo de bebidas alcoólicas e controle o diabetes.

Se tiver dúvidas sobre a doença ou sentir algum sintoma, procure um médico. E não esqueça, seus medicamentos você encontra na Ultrafarma: http://www.ultrafarma.com.br.

Cuidados durante a gravidez!

Além de ser um momento maravilhoso na vida de qualquer mulher, a gravidez é uma motivação para você começar a cuidar da sua saúde física e mental.

blog_shutterstock_190732805

Principalmente no primeiro trimestre de gravidez é importante garantir boa nutrição. Você não precisa comer mais porque está grávida, mas é importante ter uma alimentação equilibrada e saudável. Muitas mulheres param de comer certo tipo de alimento, mas é sempre possível arranjar um substituto que tenha valor nutricional parecido. O ideal é ter uma dieta que inclua verduras, legumes e frutas, carboidratos (de preferência integrais), proteína — que pode vir do peixe, da carne, do frango, dos ovos, de castanhas ou sementes — e também leite e laticínios em geral. Além disso, invista em vitaminas e ácido fólico para contribuir na saúde do bebê.

O ideal é engordar de 8kg a 12kg durante toda a gravidez, de tal forma que um mês, quarenta dias depois do nascimento do nenê, volte ao peso que tinha antes de engravidar. O grande perigo do excesso de peso é a pré-eclampsia. Se a dieta não for balanceada e houver abuso na ingestão de sal, o risco aumenta.

Pratique atividades físicas! O exercício ajuda a melhorar o humor e te mantém com a saúde em dia. Entretanto, evite exercícios que favoreçam colisões com outra pessoa, com a bola ou com o solo. Isso limita muito a prática de exercícios. Por exemplo, basquete, vôlei, futebol, handball e lutas não são indicados, mas você pode fazer caminhadas, algumas flexões e pedalar no plano ou em bicicleta ergométrica com menos carga.

Além disso, não tome remédios sem consultar um médico, diminua a cafeína, pare de fumar e de beber e descanse. 😉

O que é o câncer de pulmão?

O câncer de pulmão é um tumor caracterizado pela quebra dos mecanismos de defesa naturais do pulmão, a partir de estímulos carcinogênicos ao longo dos anos, levando ao crescimento desorganizado de células malignas. É um tumor maligno que pode pegar desde a traqueia até a periferia do pulmão. Esse é um dos tipos mais comuns e graves de câncer, sendo o tipo de neoplasia que mais mata em todo o mundo. Aproximadamente 27 mil pessoas são diagnosticadas com câncer de pulmão anualmente no Brasil.

blog_shutterstock_145807334

O tabagismo é o principal fator de risco para o câncer de pulmão e é responsável por 90% dos casos. Porém, pode ocorrer em não fumantes numa pequena parcela dos pacientes. Comparados com os não fumantes, os tabagistas têm cerca de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver o câncer de pulmão. Além disso, outros fatores podem aumentar este risco: exposição ao cigarro de outros fumantes (fumante passivo), inalação de agentes químicos, como asbesto, radônio, amianto e arsênio e histórico familiar de câncer de pulmão.

Os sintomas geralmente surgem quando o câncer já está em estágio avançado e incluem tosse ou mudança no padrão da tosse do fumante, falta de ar, dor no tórax, perda de peso, cansaço e presença de sangue no escarro.

Para obter o diagnóstico e tratamento adequado para a doença é necessário que procure um médico, mas não esqueça: abandonar o cigarro é fundamental; o tabagismo é responsável pela imensa maioria dos casos de câncer de pulmão; se você fuma ou fumou por mais de 10 anos, faça raios-X de pulmão ou uma tomografia a cada um ou 2 anos e evite a exposição a agentes químicos e metais pesados, como asbesto, arsênico, entre outros.

E se precisar de nós estamos prontos a lhe ajudar, através do site: http://ultrafarma.com.br!

O que é anemia? Como identificar?

Anemia é o nome genérico de uma série de condições caracterizadas pela deficiência na concentração da hemoglobina (elemento do sangue com a função de transportar oxigênio dos pulmões para nutrir todas as células do organismo) ou na produção das hemácias (o mesmo que eritrócitos ou glóbulos vermelhos).

blog_shutterstock_181674371

As anemias podem ser causadas por deficiência de vários nutrientes como ferro, zinco, vitamina B12 e proteínas. Porém, a anemia causada por deficiência de ferro, denominada Anemia Ferropriva, é muito mais comum que as demais (estima-se que 90% das anemias sejam causadas por carência de Ferro). O ferro é um nutriente essencial para a vida e atua principalmente na síntese (fabricação) das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo.

Nas anemias crônicas, a baixa na produção de hemoglobina provoca palidez cutânea e nas mucosas, cansaço, falta de memória, tonturas, fraqueza, dores musculares, sonolência, falta de ar ou respiração muito curta, palpitação e taquicardia, já que o coração é obrigado a bater mais depressa para garantir o fornecimento necessário de oxigênio a todas as células do corpo.

Além dos sintomas citados acima, gengivas esbranquiçadas e unhas descoloridas podem ser sinal da doença, procure um médico para identificar o problema e realizar o tratamento adequado.

Para prevenir o problema por carência nutricional, opte por uma alimentação saudável e variada e, não esqueça, após a consulta ao médico você pode encontrar seus medicamentos no site da Ultrafarma: http://ultrafarma.com.br. 🙂