Saiba mais sobre a Dengue

Surtos de dengue se tornaram comuns e os relatos aumentam a cada ano. Sabendo desses dados é importante relembrar alguns fatos sobre a doença:

A dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus, sendo um dos principais problemas de saúde pública no mundo. O seu principal transmissor é o mosquito Aedes aegypti, que se desenvolve em áreas tropicais e subtropicais (com temperaturas acima de 18º).

Embora pareça pouco agressiva, a doença pode evoluir para a dengue hemorrágica e a síndrome do choque da dengue, caracterizadas por sangramento e queda de pressão arterial, o que eleva o risco de morte. A dengue clássica é a forma mais leve da doença, sendo muitas vezes confundida com uma gripe forte, com sintomas de febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos e vômitos.

Imagem

A melhor maneira de combater esse mal é atuando de forma preventiva, impedindo a reprodução do mosquito. Identificá-lo é simples: o mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas. Ele se reproduz em ambientes com acúmulo de água. Portanto fique de olho em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Importante lembrar: a dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. A transmissão se dá pelo mosquito que, após um período de 10 a 14 dias contados depois de picar alguém contaminado, pode transportar o vírus da dengue durante toda a sua vida.

Sopa Detox para aproveitar o frio

Depois dos excessos da semana, nada como dar uma limpada no organismo. Aproveitando que o friozinho já chegou em algumas regiões do país, é uma boa para esquentar e cuidar do corpo.

Imagem

A sopa, além de saudável, é muito nutritiva. Confira o passo a passo:

1 maço de brócolis
1 abobrinha grande cortada
1 xícara de chá de couve-manteiga
1/2 xícara de chá de manjericão
1 colher de chá de alho picado
1/2 cebola ralada
Pimenta e sal a gosto
Azeite ao término da sopa na hora de servir
2 litros de água filtrada

Modo de fazer:

Cozinhe em água quente o brócolis, a abobrinha e a couve. Deixe cozinhar em fogo mínimo por cerca de 25 minutos. Logo após bata esses ingredientes no liquidificador até conseguir uma pasta grossinha. Depois disso é hora de refogar essa pasta junto ao alho, a cebola e ao manjericão. Tempere a gosto. Depois de refogado, acrescente os 2 litros de água e deixe cozinhar por alguns minutos. A sopa está pronta para ser servida!

Saiba mais sobre a vacina contra a gripe

A vacina contra a gripe é, comprovadamente, o meio mais eficaz de prevenção da infecção gripal e das suas complicações. Ela atua em nosso organismo de modo a ensinar o sistema imunológico a concentrar suas forças para um contra-ataque rápido ao vírus.

No Brasil ela é opcional e está disponível na rede privada e na rede pública para gestantes, pessoas com 60 anos ou mais, mulheres até 45 dias após o parto, indígenas, crianças de seis meses e menores de dois anos, profissionais de saúde, além dos doentes crônicos e pessoas privadas de liberdade. 

Imagem

Muitas dúvidas existem a respeito da vacina. Esclareça aqui algumas delas:

1. Ela é muita segura, sendo usada em todo o mundo e não dando reações colaterais graves.

2. Cerca de 15 dias após a vacinação já começam a surgir os anticorpos que darão a proteção contra a gripe, sendo que esta proteção máxima será atingida após aproximadamente 45 dias.

3. Como o vírus da gripe sofre mutação a cada ano, o tempo de duração da vacina é de 1 ano.

4. A Vacina contra gripe é uma vacina inativada e fracionada, o que significa que os vírus estão mortos e replicados, não podendo se reproduzir dentro do organismo das pessoas vacinadas; no entanto, podem produzir uma resposta imunológica protetora.

5. A Vacina contra gripe protege da gripe, porém, não protege dos resfriados e de outras infecções que também ocorrem no inverno e tem sintomatologia semelhante. Devemos estar atentos ao fato de que cerca de 10% dos indivíduos vacinados podem ter gripe, porém, de uma forma mais branda.

6. A composição da vacina é atualizada a cada ano, de acordo com os vírus circulantes, para garantir a eficácia do produto. A resolução está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para o Hemisfério Sul. É proibida a utilização de quaisquer outras cepas de vírus em vacinas contra gripe.

Então, fique de olho e proteja-se! 

Cuidado com a sensação de queimação, ela pode indicar refluxo

A famosa sensação de queimação no estômago, popularmente chamada de azia, é reflexo de uma das doenças mais comuns ligadas a digestão: o refluxo. O distúrbio é o motivo mais frequente de consultas ao gastroenterologista e consiste basicamente no refluxo do conteúdo presente no estômago para o esôfago. 

Imagem

O problema é causado pela incapacidade de uma espécie de válvula (esfincter), que se abre para o alimento passar para o estômago, de reter o que foi ingerido juntamente com os sucos gástricos no interior do órgão, o que acaba provocando um pequeno vômito, azia, ardor, queimação e mal-estar.

– Sintomas da doença 
O refluxo é desencadeado por fatores que geralmente passam por banais e corriqueiros, como os excessos cometidos diante de uma refeição saborosa. Molhos condimentados, bebidas alcóolicas, cigarros e obesidade complementam os gatilhos que favorecem o aparecimento da doença. 

A azia, principal sintoma do refluxo, não é um fator determinante para diagnosticar o problema, a menos que a frequência das ocorrências sejam grande. Geralmente ela aparece quando se come demais, provocando a irritação da mucosa que causa a queimação. No entanto, se a sensação for habitual, é necessário tomar cuidado, pois ela pode facilitar o surgimento de feridas no esôfago.

– Tratamentos 
O combate do refluxo pode ser feito com medicamentos e mudanças de hábitos na rotina de quem sofre com o problema. O cigarro deve ser evitado, pois ele diminui a proteção da mucosa do estômago. Frituras, chocolates, molho de tomate, cebola, entre outros, devem ficar fora do cardápio, pois estes alimentos não são de fácil digestão.

Fique de olho!